10.8.06

A menina de 11 anos indaga: Mamãe, vovô é latifundiário?


Post extraído do blog "O que pensa Aluízio"

Matéria do jornalista Leandro Belles publicada no jornal Zero Hora de Porto Alegre, nesta quinta-feira, dia 27, mostra a que ponto chegaram os fanáticos áulicos de Lula e do PT que aparelham o Ministério da Educação. Num livro de geografia utilizado na 5ª série, destacam-se trechos com propaganda ideológica enaltecendo o MST. De quebra, excerto de artigo assinado pelo famigerado baderneiro e terrorista líder do MST, João Pedro Stedile. Este é o conteúdo de geografia para as criancinhas estudarem nessa escola dos padres salesianos. O fato está revoltando os pais dos alunos, principalmente depois que uma das alunas, uma menina de 11 anos, chegou em casa e indagou: “Mamãe, o vovô é latifundiário?”

Atenção Ministério Público: a incitação à violência e à invasão de propriedade é crime. Agrava-se no caso de proselitismo envolvendo menores.

Segue na íntegra a matéria. Não deixe de ler:

“Em uma região marcada por confrontos entre ruralistas e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o livro de geografia usado na Escola Auxiliadora, uma das mais tradicionais instituições particulares de Bagé, causa polêmica entre os pais dos estudantes.
As queixas se referem a trechos considerados ideológicos e à presença de um artigo do líder nacional dos sem-terra João Pedro Stedile. A publicação é usada na 5ª série do Ensino Fundamental de algumas escolas da rede salesiana no Brasil, à qual pertence a instituição.
Descontentes com o enfoque dado na parte que trata sobre "Os modos de vida no campo - o uso da terra", os pais ficaram indignados ao ver um texto de Stedile ilustrando o dia-a-dia de um assentamento. O artigo Terra Prometida é original do livro Questão Agrária no Brasil.
- Só falta exigir que os alunos levantem e aplaudam - diz Daniela Gomes, administradora e mãe de uma menina de 10 anos.
A agrônoma Eveline Almeida ficou impressionada com a pergunta da filha de 11 anos:
- Mãe, o vovô é latifundiário?
Segundo Eveline, a filha teria aprendido, a partir do livro, que a presença de máquinas no campo seria responsável pelos desempregados que chegam às cidades.
- Quando ouvi aquilo, não acreditei. Minha filha estava se sentindo culpada por ser filha e neta de produtor rural - espanta-se Eveline.
O Sindicato Rural da cidade contatou a instituição para protestar.
- Publicar um texto escrito por um cidadão processado por pregar o assassinato de produtores rurais é, no mínimo, curioso - comenta o presidente do Sindicato Rural de Bagé, Paulo Ricardo Dias.
A direção da escola informou que revisará o conteúdo no próximo ano.
- Estamos abertos a críticas e somos contra invasões e depredações. Vamos discutir a mudança com toda a rede salesiana - informa o diretor da escola, padre Dácio Bona.
Nesta semana, o Sindicato Rural de Bagé deve entrar em contato com a direção da rede para tentar mudar o conteúdo da publicação”.

4 Gritos:

Blogger Alex Nakaoka said...

Aff!!

21:58  
Blogger Laééércio! said...

ufff!

23:47  
Blogger Vitor Taveira said...

nossa, que terrivel!

tá na hora da elite brasileira se unir e sair em passeata a favor da familia, tradiçao e propriedade

fora comunistas!

23:11  
Blogger Laééércio! said...

hehe... apesar de irônico, o apoio!

23:28  

Postar um comentário

<< Home

FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com