27.8.06

Totalitarismo sedutor: MP quer afastar público dos cinemas


Por Janer Cristaldo:

"Não bastasse as escolas e universidades enfiarem literatura brasileira goela abaixo nos estudantes, o Ministério Público Federal quer ressuscitar uma lei morta de 1975, que obriga os cinemas brasileiros a exibir um curta-metragem nacional, antes de cada sessão de um filme estrangeiro. Segundo recomendação do Ministério Público feita à Ancine (Agência Nacional do Cinema) neste mês, a agência tem 90 dias para regulamentar o artigo 13 da lei 6.281/75, que fixa a obrigatoriedade da projeção de curtas brasileiros e também de "jornal cinematográfico", antes dos longas estrangeiros.

Depois cineastas e exibidores se queixam de que o público cinematográfico diminui dia-a-dia. Ora, a publicidade antes dos filmes já é um insulto ao espectador, este herói que ainda resiste a vários obstáculos para ver um filme: trânsito, estacionamento, flanelinhas, violência urbana. Com a exibição de curtas, o espectador será duplamente insultado. Antes do filme, terá de suportar por quinze ou mais minutos as masturbações esquerdófilas dos candidatos a cineasta. Mais um pouco e as autoridades proporão uma venda casada: a cada DVD estrangeiro que você compre ou alugue, terá de comprar ou alugar junto um nacional.

A exigência obrigatória da leitura de autores nacionais nos currículos escolares já afastou boa parte da juventude da literatura. Pelo jeito, o Ministério Público quer afastar não só jovens mas também adultos do cinema."

26 Gritos:

Blogger geração prozac said...

Eu ia A-DO-RAR se isso acontecesse.

21:17  
Blogger Laééércio! said...

Eu iria menos ao cinema.

21:19  
Blogger Billie Wonder said...

iAHEOIhAEHOIUuiaheoui
1% da população (os esquerdistas, os cults, os "intelectuais" - já não tão inclusos nos esquerdistas? - e apenas alguns "normais") iriam gostar =P

os outros 99% (nos quais me incluo), iam deixar de ir no cinema tantas vezes

ao invés de obrigar, pq não deixar a livre escolha dos q gostam procurar assistir onde diabos esteja passando? ao invés de obrigar tds q não gostam a fazê-lo?

mas como sempre, os 1% que gostariam de ver esses curtas, devem tá apoiando a iniciativa (nessas horas se eskecem q obrigação é algo ditatorial.. afinal, tão fazendo algo q eles gostam).. queria ver se tivesse obrigando a passar documentários sobre roberto campos e liberais.. daí eles tariam gritando contra a intromissão federal nesse assunto!

sempre qndo os beneficiam, é tudo bom.. ê laia!

17:52  
Blogger Laééércio! said...

Exatamente, caro Billie!

Faço minhas as tuas palavras!

18:01  
Blogger geração prozac said...

Só 1% da população iria gostar?

Quem tem acesso ao cinema neste país mesmo???

20:37  
Blogger Billie Wonder said...

te garanto q quem não tem acesso ia gostar menos ainda!!

basta perguntar se eles gostam do cine-sei-lá-o-q q passam filmes famosos da globo e do sbt, ou se eles preferem os "festivais nacionais" q volta e meia aparecem nas telinhas..

os curtas (e mesmo os longas) nacionais só a "elite" (intelectualóide, e não social) gosta

21:05  
Blogger Billie Wonder said...

e mesmo não tendo a ver a questão d quem tem acesso ou não

não se deve obrigar a assistir coisas que não se quer!

se eu pago pra ver jurassic park, é isso q quero ver, e não um curta nacional

no dia q houver demanda pedindo filmes nacionais, aí passe-se.. mas não obrigar as pessoas a gostarem/assistirem algo q não se quer..

novamente repito: todos esquerdistas tariam repudiando essa idéia se fosse de ter de passar documentários estrangeiros antes de filmes nacionais, ou de passar curtas liberais nacionais antes de filmes estrangeiros..

mas como disse, qndo é bom pra eles, não se critica nd.. axa-se pelo contrário, q é uma boa idéia..

21:09  
Blogger geração prozac said...

"não se deve obrigar a assistir coisas que não se quer!"

Na TV isso sempre aconteceu. E francamente, uma industria tão monopolizada como a setima arte da opção a quem? A mim é que não dá.

A TV brasileira nos deixa opção também? Onde há monopolio não há reais opções de escolha.


"todos esquerdistas tariam repudiando essa idéia se fosse de ter de passar documentários estrangeiros"

Como eu não sou porra nenhuma, eu ia adorar do mesmo jeito.

21:46  
Blogger Laééércio! said...

Odeio quando colocam grill em minha pipoca.

01:07  
Blogger Vitor Taveira said...

Corram!!!!
Joguem seus livros pela janela!
Queimem as bandeiras vermelhas!
Joseph McCarthy voltou para liquidar os comunistas!

Menos gente, menos...

12:43  
Blogger Vitor Taveira said...

Quem disse que o cinema é um espaço democrático?

12:43  
Blogger Vitor Taveira said...

Que idéia legal, hein?

12:44  
Blogger Laééércio! said...

o cinema é um espaço comercial por origem e excelência.

Democracia, neste caso específico, consiste em permitir que o espectador, qual ele seja, pague determinada quantia para assistir ao filme desejado.

Não fosse dessa maneira o Estado "Ilumidado" faria a escolha pelo público. Um desastre em todas as suas conseqüências políticas e econômicas:

- O povão financiaria compulsóriamente filmes q não lhe interessam;

- Projetos em cinematografia financiados pelo Governo poderiam ser escolhidos com a finalidade torpe de manipular a "massa" (conceito caro a teóricos de esquerda...) consumidora.

Penso ser autoritária e absurda esta iniciativa do (des)governo Lulla e do Ministério Público Federal.

Espero que, feito outros, esse carnaval tenha o seu fim...

14:35  
Blogger Vitor Taveira said...

O cinema é parte importante da cultura e a indústria cinematográfica brasileira já nasce falida

realmente não sei o que se deve fazer com ela

Segundo dados da Ancine, a grana que sustenta as poucas produçoes brasileiras é dividido quase na mesma proporçao das seguintes fontes:
->lei rouanet -usada principalmente por estatais
->artigo 1º da lei o audiovisual- através do reinvestimento de impostos pelas empresas)
->o artigo 3º - em que as majors- grandes distribuidoras como Fox, Warner- podem aplicar o imposto cobrado ao remeter royaltes para as matrizes em co-produçoes nacionais

como podem ver, quem paga a conta sempre somos nós

Creio que acabar com tudo e deixar o Brasil sem cinema não é uma das opções consideradas por qualquer governo. Mas construir a tal indústria cinematografica no país exige tempo e, principalmente profissionalismo e políticas decentes para o setor

Além do fim da mamata, pois como diz uma matéria de Carta Capital, "os maiores defensores do cinema 'industrial' são os primeiros a beneficiar-se do dinheiro público"

A exibição de curtas antes das sessões dos grandes filmes seria uma forma de mostrar o que o Brasil produz e atrair mais gente pros filmes nacionais, que só tem público quando são feitos pela Globo Filmes e estrelados por globais.

Não sei se é algo ditatorial. As principais distribuidoras e exibidoras aqui no Brasil são quase todas extrangeiras. Nada mais justo que ajudarem o nosso cinema..=p

Quem não quiser assistir que chegue 10 minutos atrasado! rsrsrs
Pense você via assistir a um filme e ganha de graça um curta!!! Não é o máximo? Tem gente que não pensa assim, é uma questão de ponto de vista...

E acho McCarthismo demais dizer que toda produção brasileira é comunista, esquerdista ou o que seja. Olha o tamanho do nosso país... Tem os Seu Manuelzinhos por aí...

Bah!

19:41  
Blogger geração prozac said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

21:25  
Blogger geração prozac said...

"Quem não quiser assistir que chegue 10 minutos atrasado!"

Perfeito..rsrs.

Falando em cinema, Vitória Cine Vídeo está chegando. Engraçado que enquanto uns se preocupam em "medidas esquedistas ditadoriais", outros sacrificam suas vidas por amor ao cinema promovendo festivais que a grande mídia e a que a grande industria ignora. Isso porque vivemos num país democratico...

Enfim, longe de mim colocar grill na pipoca dos outros, mas a minha pipoca ja anda salgada demais faz tempo

21:27  
Blogger Billie Wonder said...

"Engraçado que enquanto uns se preocupam em "medidas esquedistas ditadoriais", outros sacrificam suas vidas por amor ao cinema promovendo festivais que a grande mídia e a que a grande industria ignora." - parabéns para esses q se sacrificam.. e não só a grande mídia e a grande indústria ignora.. aposto q grande parte da população se ver, tb ignorará..

"Isso porque vivemos num país democratico..." - justamente por isso não quero pagar pra ver algo q não desejo..

a idéia de chegar atrasado até q não é de td mal.. mas num seria melhor passar o tal filme só pra quem quiser pagar pra ver? ao invés de "obrigar" as pessoas a assistir ou chegar atrasado?

21:50  
Blogger geração prozac said...

"e não só a grande mídia e a grande indústria ignora.. aposto q grande parte da população se ver, tb ignorará..."

Uau, voltamos a minha primeira pergunta.

Porque essa elite que se diz tão afetada por serem "forçados" a verem curtas antes dos filmes "escolhidos" não se preocupam com o preço do ingressos, que invializa que a maior parte da população tenha acesso ao cinema? Ha? Ha?

22:00  
Blogger geração prozac said...

Resumindo: a grande parte da população ta se lixando pra essa medida, porque a elas ja foi negada, ha muito tempo, o "direito" de querer ignorar algo.

Agora dizer que o povo iria ignorar baseado em gosto pessoal ou ideologia é no minimo estranho.

Quem foi no vitoria cine vídeo e acompanhou a interesse das comunidades carentes pelos curtas, como eu, afirmo exatamente o contrário.

22:05  
Blogger Billie Wonder said...

"Porque essa elite que se diz tão afetada por serem "forçados" a verem curtas antes dos filmes "escolhidos" não se preocupam com o preço do ingressos, que invializa que a maior parte da população tenha acesso ao cinema?" - sinceramente? pq o q me afeta é ter de ver o q não quero.. qnto ao preço abaixar, é só deixar a lei de mercado agir livremente (e cortar um pouco essa carga tributária absurda q emperra o país).. q uma hora os "desprovidos" de cinema terão acesso à eles

e qnto ao interesse do povo, isso vai ficar sempre num impasse: eu dizendo q a maioria dos meus conhecidos e pessoas q tenho contato (não só a "elite" como vcs devem pensar) não gostam/gostariam, e vc afirmando o contrário..
axo q isso só via pesquisa mesmo pra sanar a dúvida..

00:47  
Blogger geração prozac said...

"pq o q me afeta é ter de ver o q não quero.. qnto ao preço abaixar, é só deixar a lei de mercado agir livremente (e cortar um pouco essa carga tributária absurda q emperra o país).. q uma hora os "desprovidos" de cinema terão acesso à eles"


hahahahahah

Depois dessa...deixa pra lá...

12:48  
Blogger Vitor Taveira said...

onde estao os cinemas hoje?
nos shoppings, pois tornou-se mais lucrativo e confortavel eseguro para a classe media
o shoppings baseiam-se na democracia de mercado (que no fundo significa ditarura social)
as portas estao abertas somente pra quem pode consumir, comprar um tenis, vestir uma calca jeans

entao, nao eh o mercado bonzinho que vai levar cinema pras periferias, q ilusao absurda!!!!

Como diria meu professor Alexandre Curtiss, grande entendedor de cinema, o preco cobrado hoje (ingresso+ estacionamento+ lanche+ guloseimas) eh extamente o preco necessario pra afastar as familias pobres das sessoes.

Pra q a classe media se sinta confortavel. Eh logico que a classe media se sentiria muito incomodada se o preto e o pobre frequentassem os cinemas e os shoppings...

16:20  
Blogger Marcelo Laffitte said...

eu faço curtas e confio muito no meu taco.
que nem eu, tem outras centenas de pessoas pelo Brasil fazendo filme bom pra cacete.
tem uma galera da pesada em Poa, em Salvador, em Belém, em Vitória, em Beagá, enfim, onde você for, tem gente fazendo filme bom.
tem o gênero que você quiser: ficção, documentário, animação e experimental.

e o que é que eu estou querendo dizer com isso?!
que amanhã, quando você for ver o Batman 5 e passar um curta antes, pode vaiar se não gostar.
mas seja honesto e aplauda se gostar.

repito: eu confio no meu taco.
e você, confia no seu?

01:12  
Blogger Marcelo Laffitte said...

aliás, ninguém reclama quando a Pixar meter um curta antes de qualquer longa e obrigar o dono do cinema a passar.

ninguém reclama proque os gringos só deixam passar Código da Vinci se a sala passar também coisas como Operação Babá, Anaconda, Triple X e outras bobagens parecidas.

como ousam reclamar de Machado de Assis, de Érico Veríssimo, de Nelson Pereira dos Santos, de Carlos Reinchenbach ou de Edgar Navarro?

01:25  
Blogger Laééércio! said...

A medida é suicídio comercial, afronta a liberdade do público consumidor e privilegia meia dúzia de Iluminados abraçados pelo governo "benevolente"...

14:28  
Blogger potigucho said...

"A exigência obrigatória da leitura de autores nacionais nos currículos escolares já afastou boa parte da juventude da literatura. "

Seguramente, a mais imbecil frase do ano. Para esse colonizado cultural, a seguir sua lógica, deveria ser exigida literatura em lingua estrangeira( Qual seria sua preferência??? Tenho minha suspeita...) e, quem sabe, proibido o uso da língua nacional, talvez até seu ensino. Além de imbecil, capacho.

13:11  

Postar um comentário

<< Home

FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com