27.11.05

"Mais valem pobres na mão do que pobres roubando"

Ontem eu assisti ao filme "Quanto vale ou é por quilo", recém-chegado às locadoras. Caraca. Que tapa na cara!

O pessimismo e a ironia do diretor Sérgio Bianchi seguem marcantes nesse filme, que problematiza a questão do Terceiro Setor. "Quanto vale" faz uma comparação da escravidão com o modelo de dominação atual, apontando que mesmo em tempos tão distintos os ricos continuam a explorar os pobres de maneira parecida.

Ele mostra uma empresa que lucra com a miséria através programas assistencialistas. Os empresário brigam pelo dinheiro público despejado nas ONG's e superfaturam os programas para desviarem verbas.

Bianchi mostra o assistencialismo não como tentativa de ajudar as pessoas necessitadas, mas como forma de aumentar a lucratividade e fortalecer a marca das empresas e como meio de aliviar a consciência da classe média, que acha que ajudando estes projetos já estão fazendo sua parte na construção de um mundo melhor.

Um filme pra assistir e refletir. Confira.
......................................

2 Gritos:

Blogger Billie Wonder said...

faz tdo o sentido isso q vc disse.. em pleno capitalismo, "nguem" (generalizando) é bonzinho pra ajudar por ajudar. as pessoas enxergam o $$$ por trás do ajudar alguém.

15:15  
Blogger Thaize Dallapícola said...

Massa!! Fiquei curiosa agora!!
Tbm vou assistir ao filme!!
Bjus!!

15:16  

Postar um comentário

<< Home

FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com