25.8.06

"Não Somos Racistas"

O Jornalista Ali Kamel defende em seu livro “Não somos racistas – Uma reação aos que querem nos transformar numa nação bicolor” a tese de que, como sugere o título, não há racismo no Brasil. Para Kamel a profusão de variantes tons de pele, resultado da miscigenação racial, nas palavras do autor, “cafuso, mulato, mameluco, caboclo, escurinho, marrom-bombom”, impede que sejamos racistas. Não pode haver opressão racial quando somos “orgulhosos de nossa miscigenação, do nosso gradiente tão variado de cores”.

O diretor de telejornalismo da Rede Globo diz que “levou um susto” quando da implementação das cotas nas universidades, porque isso reduzia o país a uma dualidade racial inverossímil. “Pior: uma nação em que os brancos oprimem os negros”, o que Kamel sustenta que não acontece. “Aquele país não era o meu”.

Esse e outros trechos do livro você pode conferir no endereço: http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2006/08/24/285398931.asp.

63 Gritos:

Blogger Vitor Taveira said...

perfeitamente!
assim como não há racismo, também não há concentração nos meios de comunicação no Brasil, não é Sr. Kamel?

19:05  
Blogger geração prozac said...

Eu nem sei por onde começar.

Como unica estudante negra das escolas particulares que frequentei, fica muito dificil acreditar que o meu país é o mesmo que o do Ali Kamel.

Mas como disse, nem sei por onde começar, e acho que nem vou começar. Ele dece achar que racistas são os negros por terem uma camisa escrita "100% negro" ou por terem um dia so pra eles (dia da consciencia negra)ou ainda por sempre reclamarem de que são injustiçados. Na cabeça desses brancos "esclarecidos", os negros são uma curiosa raça masoquista e pedante, que adora se fazer de "vítima".

19:12  
Blogger geração prozac said...

*Errata
dece = deve

19:13  
Blogger Laééércio! said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

19:37  
Blogger Laééércio! said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

19:44  
Blogger Laééércio! said...

Preconceito há. Porém, menor do que é "pensado" por muitos.

Os fragmentos do período escravocrata estão concentrados principalmente no excesso de negros pobres.

A questão do preconceito foi e é bem resolvida no Brasil. Mais que nos estados Unidos. Mais que na Europa. Mais que em muitos países africanos conflagrados há décadas em infindáveis guerras civis genocidas de motivação étnica.

Sim. É verdade. O Brasil é boa referência mundial na convivência pacífica de religiões, povos e culturas.

Desse male este país não padece.

19:58  
Blogger Laééércio! said...

Favor não confundir "disparidade econômica" com "preconceito racial".

Vivemos próximos da harmonia entre "raças" (o termo é inapropriado visto não sermos cães... passíveis de distinção fenotípica).

Os ademais são retóricas de esquerda. E incluo nela as ONGs e os ditos "movimentos sociais"...

abraço

20:09  
Blogger geração prozac said...

"A questão do preconceito foi e é bem resolvida no Brasil. Mais que nos estados Unidos."

Pra voce que é branco deve ser uma maravilha mesmo, afinal, todos os traços culturais da sua raça foram preservados, não é mesmo?

Eu nunca escondi de ninguem que prefiro muito mais o separatismo americanos do que essa falsa harmonia brasileira. Os negros americanos sabem até cantar as musicas que os escravos usavam como codigo de fuga. Tudo foi preservado, graças ao separatismo.

Sem contar que os movimentos negros de lá....

Anyway, temos feijoada, mutala, samba e futebol. Ta bom assim.

20:34  
Blogger Laééércio! said...

Para deparar o "separatismo americano" vc vai precisar de uma máquina do tempo.

rsrsrs...

20:59  
Blogger Laééércio! said...

"Pra voce que é branco deve ser uma maravilha mesmo, afinal, todos os traços culturais da sua raça foram preservados, não é mesmo?"

Comentário preconceituoso o seu, hem?

Vc conhece a árvore genealógica de minha família para determinar que sou de descendência étnica genuinamente branca?

Acho q não...

21:05  
Blogger geração prozac said...

Foi mal pela palavra. Devia ter usado SEGREGACIONISMO. Reconheço que ficou estranho;
Mas enfim, vc não é burro (?)

Voce entendeu o que eu disse com separatismo americano. Até hoje existem escolas onde so estudam negros e latinos. Bairros "só" de negros, "só" de brancos e outros "só" de latinos e por aí vai...

No brasil existe isso ? Em partes. As favelas estão aí pra mostrar isso.

E quanto a sua ARVORE genealogica, eu nao preciso saber. Se na UFES houvesse cotas, voce concorreria pelas vagas dos negros por acaso?

Acho que não...

21:17  
Blogger geração prozac said...

E meu comentário nao foi preconceituoso. Eu nao me importo que me chamem de preta, morena, mulata, diabo a quatro.

Eu sei quando alguém esta usando a palavra contra mim ou não.

Voce pelo visto nao sabe fazer essa diferença. So porque te taxei de branco é preconceito? Não, não é.

21:24  
Blogger Laééércio! said...

"Se na UFES houvesse cotas, voce concorreria pelas vagas dos negros por acaso?"

Não há nada que me impeça...

21:51  
Blogger geração prozac said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

03:16  
Blogger Laééércio! said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

11:12  
Blogger Laééércio! said...

"Logico que há. Voce é branco, ou pelo menos aparenta ser um."

rsrsrs... Se informe... Não há nada que me impeça. Sou eu quem digo a que estirpe "racial" pertenço...
......

"Voce pode provar que há negros na sua arvore genealogica. Isso não te faz negro, sorry."

Não me faz negro. Faz de mim mestiço.

Ademais, o preconceito que existe no Brasil é irrisório se comparado às outras partes do globo.

Temos, em verdade, de exportar o nosso modelo de convivência...

11:24  
Blogger Laééércio! said...

não fui irônico...

11:58  
Blogger geração prozac said...

Vc é tão mestiço como minhas primas brancas de olhos claros. e Dai? Acha que elas concorreriam por cotas? Não.

Esse mito de que somos tão misturados que nã faz diferença é lindo na teoria, mas na pratica nao funciona. E eu nem vou perder meu tempo citando milhares de exemplos que eu ja presenciei disto.

So nao ver quem nao quer....ou esta numa situação confortavel de "mestiço" branco...rsrsrs.

13:07  
Blogger geração prozac said...

ver = vê
nã = não

13:08  
Blogger Vitor Taveira said...

Roberto Da Matta já escreveu muito sobre o mito da democracia racial
o texto dele costumar ser gostoso de ler.
Fica a minha dica...
e não vale acusá-lo de marxismo!

13:17  
Blogger leticia goncalves said...

"Vivemos próximos da harmonia entre "raças" "

Talvez nesse país em que vc e o Ali Kamel vivem seja assim, mas eu nasci numa terra diferente. Há sim no Brasil uma distinção entre preconceito racial e preconceito social, esse último é um agravante do primeiro.

O que não nos coloca no país das maravilhas, muito ao contrário.

O racismo no Brasil é diferente dos outros países sim, o que não quer dizer que não exista. Classifico o racismo no Brasil de "alternativo"; ele varia.

Quando um branco(ou alguém q assim se julgue) diz "preto safado", "só podia ser preto", atravessa a rua quando vê um negro por pensar tratar-se de um bandido, etc e tal esse racismo fica bem evidente.

Quando fala-se em cotas, não existe "preto safado", somos todos irmãos e vivemos em harmonia num paraíso multietnicoracial chamado Brasil.

É td questão de optar pelas alternativas.

13:40  
Blogger Laééércio! said...

Vcs são muito puritanos...

Temos os nossos problemas no que tange ao preconceito "racial", porém evoluímos muito bem a esse respeito...

Não encontro esse ódio estocado em parte alguma.

Mas me perdoe. Sou um branco mestiço cego dos olhos e surdo dos ouvidos.

14:30  
Blogger Laééércio! said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

14:31  
Blogger geração prozac said...

Eu ja fui chamada de complexada, rancorosa, radical...mas puritana? Novidade essa.

Laércio, nao é só porque o Brasil não tem uma Klu Klux Klan oficial, que o racismo aqui seja menos agressivo.

Na televisão da dinamarca tem mais negros do que no Brasil. Lembro que no Multicom em Guarapari ano no passado, assisti um documentário (a unica coisa interessante que aquela bosta de encontro me serviu)chamado "A negação do Brasil - o negro na televisão brasileira" de Joel Zito. É berrante o racismo brasileiro. Solta aos olhos.

E sinceramente, americano nao tem vergonha de dizer que é racista. Os brancos que fazer parte de movimentos em prol da purificação da raça ariana, dão o livro de Hitler para os seus filhos (crianças ainda) lerem....Não é um apharthaid oficial, mas é do tipo "cada macaco no seu galho".

Claro que nada impede o casamento inter-racial, mas não acontece com frequencia, não é como nós.

E um dos motivos dos negros ainda estarem, em sua maioria, a margem da sociedade, creio eu, seja a falta de indentidade do seu povo. Hoje, tudo que a maioria dos negros quer é se inserir no mundo dos brancos. Um exemplo são o negros que frequentam terreiros de Umbanda, mas no censo se identificaram como "catolicos". Alias, quase todos os "santos" do camdoblé tem "nomes adaptados" ao catolicismo.

Eu sempre pergunto aos brancos que não se dizem racistas se eles ja se envolveram com pessoas de outras raças, ou se achariam "normal" se um irmão/irmã ou qualquer parente proximo se casasse com alguem de outra raça. O silencio que eu ouço como resposta ou a demora em responder, isso sim, é esclarecedor...

Enfim...

16:56  
Blogger geração prozac said...

Ah, e Roberto da Matta é muito bom mesmo. Li alguns textos dele quando fiz antropologia e adorei. Principalmente os que falavam sobre o que é cultura.

17:03  
Blogger Alex Nakaoka said...

Bom, vamos lá Laércio...

"Desse male este país não padece."

Está enganado ao afirmar tal injúria. O Brasil é sim um país racista e preconceituoso, desde os seus primórdios. Uma país cuja escravidão ainda deixa sequelas econômicas e sociais gravíssimas na população. Tenho diversos conhecidos negros, e todos podem contar um ou mais casos de preconceito e discriminação que sofreram. Piadas, calúnias e brincadeirinhas maldosas feitas por crianças são um singelo exemplo da cultura preconceituosa e racista na qual vivemos e muitas vezes nos corrompe contra nossa própria vontade. Aconselho você a sair um pouco do aconchego do seu lar burguês (igual ao que eu fui criado, apesar de sempre estar em contato com pessoas de condições financieras mais precárias) e ver a realidade lá fora.

Conheço vários negros que sentem-se infeiores por terem mais melanina na pele, e com certeza eles não são piores nem melhores que os brancos (perdoem-me pelo jargão).

"Vivemos próximos da harmonia entre "raças""
Só se for no cinema. No Brasil e no mundo inteiro vemos cenas de violência entre "raças" diferentes. Negros contra brancos, árabes contra judeus, etc, etc, etc...
No nosso país é claro e mais que evidente a diferença de tratamento e respeito de um negro em relação à um branco. Trabalho no Shopping a pouco tempo, e o que vejo e ouço é exatamente o contrário do que vc afirma: os brancos não tem apenas preconceito, mas nojo, as vezes asco de negros. Um absurdo e um total disparate, o que me faz sentir mais nojo ainda dessa raça hipócrita de "brancos".

Agora, não vou entrar nesse debate sobre que raça eu pertenço. Acho que o assunto, entre as discussões importantes, é a que possui menor importância.

Obs: Sou um mineiro-paulista-afro-nipo-latino-americano com muito orgulho...

18:28  
Blogger Alex Nakaoka said...

Ah , ia me esquecendo...

"Mas me perdoe.Sou um branco mestiço cego dos olhos e surdo dos ouvidos"

Concordo!! E como sou um bom puritano está mais que perdoado... Mas que isso não se repita mocinho...

18:30  
Blogger geração prozac said...

"Piadas, calúnias e brincadeirinhas maldosas feitas por crianças são um singelo exemplo da cultura preconceituosa e racista na qual vivemos e muitas vezes nos corrompe contra nossa própria vontade..."


No colégio de freiras que eu estudava em minas os meninos adoravam me dar apelidos de marca de café....O que eu mais "gostei" foi "Café 3 corações"..rsrsrsrsrs.

Nem acredito que hoje consigo rir disso...

18:50  
Blogger Laééércio! said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

19:17  
Blogger Laééércio! said...

"lar burguês"...

Sou filho de uma servidora pública e de um caminhoneiro, Alex...

E não disse que inexiste preconceito. Apenas que ele é pequeno se comparado ao de outros países. Afinal, o brasileiro convive bem com a diversiddade. É filho dela.

Se me aconselha sair de meu acalento burguês para flagrar a "realidade" social em torno, alex, eu tomo a liberdade de lhe recomendar breve passeio a países como Sudão, Iraque, Irã, China e Palestina a fim de conhecer a Intolerância...

Não quero tornar imaculado o passado deste país. Tampoco esconder os fragmentos do período escravocrata.

Porém, ainda que existam desigualdades de ordem econômica e social até, o negro é respeitado no Brasil.

E repito: deste male não padecemos.

ahh...

Chamei a todos puritanos pq acreditam ser possível um mundo destituído de preconceito, desigualdade, violência, etc... ahh... quem dera fosse possível...

Abraço

19:32  
Blogger Laééércio! said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

19:36  
Blogger Laééércio! said...

ahhh... puxa... "Café 3 corações" é muito bunitinho, né?? ... rsrsrs

Tenho certeza que vc fez diversas amizades entre os branquinhos e branquinhas de suas classes... rsrs

19:43  
Blogger geração prozac said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

19:48  
Blogger geração prozac said...

Café 3 corações é uma graça...rsrsrs.

Mas sério, não me importo de ter apelidos referentes a minha cor quando sei que são de pessoas que me respeitam ou gostam de mim. Tenho um amigo que toda vez que me vê solta um "hei crioula!" e nunca me senti ofendida com isso.

Enfim, o problema não ta na palavra e sim na maneira como as diz. E aqueles anjinhos eram perversos o suficiente para me chamarem assim com o unico intuito de zombaria.

E por estudar em escolas particulares, a maioria dos meus amigos (90%) eram brancos (ou aparentavam ser, como queira). Mas a amizade com os meninos branquinhos e chatos eu dispensei...rsrs.

19:53  
Blogger Laééércio! said...

hehe... ;P

"Enfim, o problema não ta na palavra e sim na maneira como as diz. E aqueles anjinhos eram perversos o suficiente para me chamarem assim com o unico intuito de zombaria."

Sim... Mas poderia ser muuuuito pior.

Esse o "preconceito cotidiano", civil, não pode ser abolido em sua totalidade... Até pq o direito à liberdade inclue o de nutrir preconceitos... Conquanto, claro, não impeça as liberdades de seus desafetos...

Imagine uma turma de primário composta, em sua totalidade, de negros. Imagine que um garotinho branco seja posto nessa turma. De imediato ele será identificado por seus pares como ente estranho. É natural... Acontece q no Brasil o, grosso modo, "ET social" é absorvido rapidamente e com poucas "cicatrizes" pela "comunidade".

Abraço, 3 corações. rsrs

20:22  
Blogger Laééércio! said...

"Esse o "preconceito cotidiano""

Errata:

Esse "preconceito cotidiano" (...)

20:24  
Blogger Alex Nakaóka said...

Eta rasgação de seda...

20:50  
Blogger Alex Nakaóka said...

Acessem: www.jornalanalogico.blogspot.com

20:52  
Blogger Alex Nakaóka said...

Acessem: www.jornalanalogico.blogspot.com

20:52  
Blogger Alex Nakaóka said...

Acessem: www.jornalanalogico.blogspot.com

20:53  
Blogger Billie Wonder said...

essa discussão tá demasiado grande.. então nem vou entrar nela com os 2 pés..

vo ficar por aqui mesmo e dizer q daria uma procuração pro laércio me representar nela, pelo que li nos comentários acima.. são as opiniões mais próximas do meu pensamento.. hehe

20:58  
Blogger Alex Nakaoka said...

Parênteses e aspas:
o problema da democracia é permitir que as pessoas designem outras, com ou sem procuração, para discutirem em seu lugar... É mais cômodo, concordo, mas não ajuda muito na utópica pluralidade e diversidade pregada por tantos...
fecha aspas, fecha parênteses...

21:12  
Blogger Laééércio! said...

errata 2:

Onde lê-se "inclue" leia "inclui"...

22:24  
Blogger Laééércio! said...

aff, Alex...

só uma pergunta:

Vc não acredita na democracia representativa?

......

ahh... valeu pela força, Billie... mas não deixe de participar das contendas!!

22:28  
Blogger geração prozac said...

Laércio,

Eu sei que o meu exemplo chega até ser singelo, mas não vou postar aqui todas as que eu ja passei. Mas garanto, não é de tudo que eu consigo rir. Nem todas as sutiações se encaixem nesse preconceito cotidiano.

Só dei esse exemplo bobo para exemplificar o que Alex disse, até mesmo para poder rir um pouco disso, porque nem sempre falar de racismo comigo é uma tarefa fácil.

Esse preconceito do cotidiano costuma ser muito mais denso do que meros apelidos tolos. Pergunte para quem ja foi acusado de roubo sem motivos, foi parado numa blitz suspeita, ja foi proibido de entrar em um clube (isso aconteceu em minas). Eu até colocaria outros exemplos pessoais, mas não vou colocar minha vida em pauta. A historia dos 3 corações ja é suficiente....rsrs.

Ah...E sejamos sinceros! Se racismo não fosse crime, essas casos seriam muito mais comuns.

00:48  
Blogger geração prozac said...

Errata:
sutiações se encaixem = situações se encaixam

essas = esses

00:50  
Blogger Laééércio! said...

casos e casos...

Não permitir que um indivíduo acesse a um estabelecimento por ser negro é crime. Ponto final.

Não estenda esse caso à prática comum (cultura)de toda a população.

01:10  
Blogger geração prozac said...

"Não permitir que um indivíduo acesse a um estabelecimento por ser negro é crime. Ponto final."


Até a Gloria Maria, já famosa, ja passou por algo semelhante. Alias, dificil é encontrar um negro que não tenha sofrido alguma situação de descriminação que poderia causar cadeia SIM.

01:17  
Blogger Laééércio! said...

Nada... devemos ter o direito ao preconceito... respeitando as liberdades alheias...

Não me julgue pela frase... não foi fácil reconhecê-la como verdade...

casos e casos...

o que vc ilustrou é crime pois afronta a identidade legal do estabelecimento... eu pago pelo ingresso...

Não generalize... o país é democrático... as opiniões idem...

01:34  
Blogger geração prozac said...

Ai Cristo, vamos lá

Não sei aonde voce quer chegar. Ninguem é obrigado a gostar de negros. Isso não é crime, logico.


Mas proibir uma pessoa de entrar em estabelicmentos, agredi-la verbalmente (isso da cadeia sim) entre outros coisas não devem ser toleradas.

Na setima serie eu estudei com um garoto que se dizia nazista. Desenhava a suastica nas mesas, falavam um monte de merda tipicas de neo-nazistas e tal. Ele deveria ser preso? Claro que não. É o direito dele. Se ele so gosta da raça dele, paciencia.

Mas seria crime sim se ele abrisse a boca para me agredir ou tentar contra a minha vida ( o que nunca aconteceu, já que o garoto apesar de idiota, nao fazia mal nem a uma mosca).

07:44  
Blogger Laééércio! said...

Pois sim.

As agressões verbais têm os seus gradientes de gravidade... mas há casos que, realmente, "justificam" a autoação judicial do agressor.

Esses tipos de casos não são uma constante. O brasileiro, ao contrário, é bastante cordial.

11:13  
Blogger geração prozac said...

Cordial?

Que diferença faz, para quem ja foi discriminado, se foi cordial?

Por acaso os racistas brasileiros pedem licença ou permissão antes de xingar alguem de macaco ou algo assim? rsrsrs

Ah já sei, vai ver quando eles vêem "Mississipi em Chamas" na TV, eles pensam : "nossa, não somos tão maus assim"

12:54  
Blogger Laééércio! said...

O Rato roeu a roupa do Rei de Roma!

Sem mais.

13:08  
Blogger Laééércio! said...

Não force a "barra"... vc me compreendeu...

13:30  
Blogger Alex Nakaoka said...

acredito na democracia representativa em que as pessoas ao menos discutem os assuntos, para depois elegerem seus representantes, e assumam o preço por sua escolha consciente... Não numa pseudo-democracia, onde os voto são comprados por um pacote de feijão...
Nisso não acredito...

14:32  
Blogger Billie Wonder said...

eu num to aki discutindo a democracia representativa alex.. a questão é só q é fds e eu não to com o mínimo saco de ficar discutindo.. como isso aki é só um blog e julgo (pelo menos pra mim) como um meio de informação, discussão e entretenimento, eu abdico de participar de vez em qndo.. nem sempre to com tempo/paciência pra entrar nas discussões mais acaloradas como agora.. daí vejo alguém q tem postura feito a minha, e digo q tá +- na minha linha de pensamento.. =]

15:25  
Blogger Sergio Denicoli said...

Acho que o preconceito existe pela diferença e isso, aqui na Europa, é um câncer. Não acredito que os negros brasileiros ou descendentes de japoneses etc etc se sintam menos brasileiros do que os brancos (que também não são os nativos), como acontece aqui no velho continente, onde filhos de africanos, de europeus do leste, de chineses, entre outros, não se identificam com a cultura dos países onde nasceram "por acaso" porque seus pais um dia imigraram e são mesmo discriminados fortemente pelos "nativos", tendo até mesmo suas casas incendiadas. Somos fruto de uma mistura étnica que nos faz um país de miscigenação. É obvio que existem pessoas preconceituosas mas não é essa a característica do Brasil, graças a Deus. Aproveito para dizer que meus antepassados eram angolanos, árabes, índios e italianos e adoro isso. Abç

16:30  
Blogger Laééércio! said...

Maravilha!!!

Adorei os comentários do Billie e do Sérgio. Excelentes.

17:24  
Blogger geração prozac said...

Hum...

Pena que essa mistura etnica de que tanto falam com orgulho, so favoreceu uma minoria. Estranho isso, mas paciência, né? Não é isso que torna o brasileiro um povo unico, alegre...bla bla bla? Não vejo diferença em ser discriminada aqui ou na Africa do Sul, onde casamento inter-racil já deu até cadeia. É racismo e pronto.

Chega.

17:38  
Blogger Laééércio! said...

Não vivemos num apartheid social. Seja ele escancarado ou velado.

18:33  
Blogger Alex Nakaoka said...

Meu amigo, em que país vc vive?? Aconselho vc consultar um oftalmologista e um otorrinolaringologista urgente... Seu problema nào deve ser ideológico e sim físico. Vc não ouve nem enxerga as evidências... Ou não quer enxergar, ou pior... Finge não enxergar...

11:58  
Blogger Laééércio! said...

!!!!!!!!!!!!

15:58  
Blogger wendy said...

claro que o Brasil nao é racista racista é o EUA a Africa entre outros
No Brasil o que existe é inveja mas nao racismo
Ficou claro agora?

20:33  

Postar um comentário

<< Home

FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com