12.11.05

Os mano pou, as mina pá!

Eu estava pesquisando na Internet sobre o movimento hip-hop. Encontrei essa matéria, muito boa, falando sobre a importância do hip-hop para a periferia e do caráter político e social do movimento.

No mesmo site, quase chorei ao ler a agenda:

"BUGER KING TOUR-Para você que não conhece esse BURGER KING é nos EUA, uma das maiores ou a maior rede de fast food, batendo de frente com o conhecido de todos McDonalds.
A poucos meses chegaram no Brasil, e estão se espalhando pelo país.O Burger King INAUGURA MAIS QUATRO NOVAS lojas em São Paulo e, para comemorar organizou 4 pockets shows gratuitos.
Para comandar a festa nada menos do que o grupo Motirô do nosso parceiro DJ HUM, que inova na proposta do Hip Hop, deixando de lado as letras de protesto. Mas abusa dos ritmos do rap, drum´n´bass, funk,soul, samba-rock e até o reggaeton."

Acontece com o rap o mesmo que com muitos outros movimentos que emergem da periferia. A indústria cultural mercantiliza e tira o caráter contestatório para que soe melhor aos ouvidos dos 'burgueses'. Vide o Hip-Hop Manifesta, que trouxe grandes astros norte-americanos a um preço totalmente inacessível ao brasileiros da periferia .
Também é visível o fenômeno dos 'plays' e 'patys' metidos a 'mano', com seus bonés que custam 100 reais, nas boates de classe média.

Mas muitos ainda resistem, como os Racionais MC's, (os mano são sangue, tá ligado, truta?), grandes baluartes do rap nacional.
............................
Hoje eu tô afim de fazer a revolução, mas como num depende só de mim acho que vou encher a cara.
(tap, tap) Hipócrita!!!

7 Gritos:

Anonymous Anônimo said...

Blogger takes on NYT chief food critic
Meet Julia Langbein, chief mocker of Frank Bruni - the chief restaurant critic of The New York Times.
Find out how to buy and sell anything, like things related to road construction safety equipment on interest free credit and pay back whenever you want! Exchange FREE ads on any topic, like road construction safety equipment!

19:59  
Anonymous Abreu said...

já vi essa história antes..

hipócrita!!
uAHEoiuHAEOIUhuoAE

20:10  
Anonymous Rodrigo Rubens said...

Mais um movimento de auto-afirmação de excluídos que cai nas graças da mídia. Afinal, se é dificil detê-lo, ao menos o incorpore. Será que é possivel algum movimento resistir à força da industria da cultura?Creio que sim, vide o movimento Manguebeat, liderado por Chico Science e nação zumbi. Não fosse o cara ter batido as botas, quem sabe ainda tava fazendo sucesso sem perder a essência de falar da periferia de recife.Se bem q o Nação Zumbi continua, e a não ser que seja por dowloads piratas, jamais teria acesso às músicas.Mas porra! de que me interessam as músicas se a minha realidade não é da periferia de recife. Eis o processo de auto-afirmação dos excluídos, feitos por eles e para eles, sem a necessidade que alguém venha de fora contar sua história. Mas será q a veiculação na grande mídia é inversamente proporcional ao caráter social e crítico desses movimentos? Não qndo a moda é fazer crítica. então se é assim...critiquemos todos!bom, acho q já chega, vou ver meu ídolo João gordo( é! aquele mesmo do "Ratos de Porão")na MTV, pq hj vão passar vários clipes do Dead Fish.É! Dead fish, aquela banda q até pouco tempo tocava na Casa da Cultura, e de qm muito se ouvia:Poxa, mas como uma banda com um som tão undeground não faz sucesso no Brasil?
adeus cambada

20:47  
Anonymous matheus said...

nao tenho mto oq falar
só citar q vc esqueceu o movimento hip hop capixaba com dj gumies.

vc nao citou simplismente o maior icone do hip hop capixaba.

mas pelo menos citou uma de suas musicas no final, a famosa, tap tap hipocrita.

21:29  
Blogger Vitor Taveira said...

aiheuaheuhaeuaheahe
boa matheuzaun!!!
pokando no hip-hop

21:32  
Blogger Sergio Denicoli said...

Hip Hop manifestação de cultura? Só se for cultura norte-americana! Alguém acha que aquela música tem a ver com o Brasil? Acho muito bem que seja usado pra inaugurar loja do Burger Kink...

10:00  
Blogger Vitor Taveira said...

eh verdade, eh cultura norte-americana
o q eu quis destacar é o carater social do movimento hip-hop

mas o hip-hop ja ta bem enraizado nas periferias brasileiras. Mesmo vindo dos EUA, o rap nacional vai criando suas proprias caracteristicas.

Mas realmente é bem contraditorio um movimento de contestação importado dos States.heheehhhee

20:35  

Postar um comentário

<< Home

FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com