29.4.07

"Negro incomoda quando sai do seu lugar"


O professor Carlos Antonio Costa Ribeiro, do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, o Iuperj, jogou nova luz sobre uma velha encrenca nacional. Os negros não chegam ao andar de cima porque são negros ou porque são pobres?

Num artigo intitulado "Classe, raça e mobilidade social no Brasil", publicado no último número da revista "Dados", ele sustenta que os negros de Pindorama carregam dois fardos. Até o patamar dos 12 anos de escolaridade, prevalecem as desigualdades de classe. Daí para cima, pesa a barreira da cor: "A desigualdade de oportunidades está presente no topo da hierarquia de classe, mas não na base desta hierarquia. (...) A discriminação racial ocorre principalmente quando posições sociais valorizadas estão em jogo".

O texto é de Elio Gaspari na Folha de S. Paulo hoje (29). O estudo a que ele se refere pode ser conferido no site do Iuperj.

( Imagem: marco negro )


Marcadores: , ,

2 Gritos:

Blogger Fabrício said...

Sono...

23:45  
Blogger :: said...

interessante a hipótese. mas acho que os dois 'fardos' estão presentes desde sempre na vida da criança e do jovem negro... difícil estabelecer uma idade divisora de águas entre as desigualdades de classe e raça. o menino que tem que parar de estudar pra vender bala no farol é o mesmo que é chamado de 'macaco', não é só uma coisa ou só outra. por isso tem que combater as duas coisas, juntas...

15:56  

Postar um comentário

<< Home

FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com